A Secretaria de Esportes passou a ser um calo no sapato de Juliano Bertolini


23/02/2018 21:02



A Secretaria de Esportes que foi um oásis no governo Pedretti, recebendo avaliação máxima da população, passou a ser um calo no sapato de Juliano Bertolini. O primeiros 6 meses do primeiro ano de administração, Juliano não conseguiu nem nomear um secretário. Um ano e dois meses após ter assumido, Juliano tem seu primeiro grave caso de suspeita de mau uso do dinheiro público, justamente na secretaria dirigida pelo seu melhor amigo.

Juliano Bertolini e Marcos Cesar, são amigos há muitos anos e juntos enfrentaram uma dura campanha eleitoral em 2016, para coroar o sonho de Bertolini em ser prefeito de Dracena. Agora juntos também, terão que explicar para a população uma acusação séria de falsificação de orçamentos nas licitações feitas durante a realização da final estadual em dezembro de 2017 que foi realizada em Dracena.

As irregularidades relativas as licitações neste evento parecem não ter fim e a todo momento aparece uma nova suspeita. Entre empresas suspeitas que deram orçamentos para compor o tramite legal para contratação de serviços, algumas de Ouro Verde e Monte Castelo em endereços suspeitos, reforçam a tese de que o amadorismo está implantado entre os funcionários da secretaria de esportes.

Infelizmente em alguns cargos que deveriam estar ocupados por pessoas experientes para dar agilidade na administração da secretaria de esportes, a inexperiência  e infantilidade deixam transparecer que as coisas não caminham bem.

O caso mais grave e que já está na esfera judicial parecendo ser de natureza indefensável, é uma falsificação grotesca de um orçamento para contratação de computadores que foram usados no comitê dirigente durante a organização deste evento em dezembro de 2017. Durante o governo Pedreti foram realizados vários eventos de nível estadual, mas jamais foram contratados serviços de computador. Com centenas de computadores espalhados pelos órgãos municipais, era muito fácil transferir 7 ou 8 para o comitê dirigente que tinha até a assessoria de um funcionário da secretaria da educação.

Outra contratação estranha foi de 10 gandulas para trabalhar nos jogos da final estadual, mas quem acompanhou os jogos no Irio Spinardi, Barranção e Centro Olimpico da Vila Barros, viu de forma muito clara que este serviço não foi prestado, mas contratado e pago com dinheiro público.

E existem outras  irregularidades para serem apuradas através de uma investigação mais aprofundada. A verdade é que os amigos Bertolini e Marcos Cesar estão com um grande problema nas mãos. Após um primeiro ano de administração, onde a população não fez uma boa avaliação do governo municipal, quando tudo pareceu ser um mar de incompetência em quase todas as secretarias, 2018 inicia com os mesmos problemas e tomara que não se transforme também em um mar de lama.

Vanderlei Valério

Fonte: http://jornalinterativo.net/2016/16395-2/


Nossos Parceiros